PT

Desvendando A Sombria Realidade De La Sicaria Guatemala: Uma Jornada Para Expor A Verdade Amarga

Prepare-se para conhecer a infame “La Sicária Guatemala”, uma figura sombria acusada de executar assassinatos brutais a mando da gangue Barrio 18. Sua identidade permanece um enigma, mas seus atos violentos deixaram uma marca indelével no submundo do crime organizado da Guatemala. No Goldsport.pt, vamos mergulhar na história dessa assassina de aluguel, desvendando os detalhes de seus crimes hediondos, prisões anteriores e as consequências legais que ela enfrenta. Junte-se a nós nesta jornada arrepiante enquanto exploramos a vida e os crimes de “La Sicária Guatemala”.

Desvendando A Sombria Realidade De La Sicaria Guatemala: Uma Jornada Para Expor A Verdade Amarga
Desvendando a Sombria Realidade de La Sicaria Guatemala: Uma Jornada para Expor a Verdade Amarga

I. La sicaria Guatemala: Leidy Noemí Tzun Lacan, alias “la China”

Identidade e apelido

Leidy Noemí Tzun Lacan, conhecida pelo apelido “la China”, é a principal suspeita de ser a assassina de aluguel da gangue Barrio 18. Sua identidade foi revelada após sua prisão em agosto de 2022, em Loma Blanca, Zona 21, com dois mandados de prisão em aberto por homicídio.

Prisões e acusações

Tzun Lacan tem um histórico de prisões e acusações relacionadas a atividades criminosas. Além dos mandados de prisão por homicídio, ela também foi presa em maio de 2022 por tráfico de drogas, sendo flagrada com cocaína e maconha prontas para distribuição na Zona 21.

Modus operandi

A suposta assassina de aluguel é acusada de realizar ataques armados na Zona 21, incluindo um em abril contra um agiota colombiano de 22 anos e outro em maio contra um homem de 41 anos, ambos em Loma Blanca. As autoridades acreditam que ela seja responsável por vários outros crimes e suspeitam que ela atue como pistoleira para a gangue Barrio 18.

Data Vítima Local
Abril de 2022 Agiota colombiano, 22 anos Loma Blanca, Zona 21
Maio de 2022 Homem, 41 anos Loma Blanca, Zona 21

“La China é uma figura perigosa e implacável, que não hesita em usar a violência para atingir seus objetivos.” – Delegado responsável pela investigação

II. Prisão e acusações de Leidy Noemí Tzun Lacan

Prisão por tráfico de drogas

Leidy Noemí Tzun Lacan foi presa anteriormente em 23 de maio de 2022, por tráfico de drogas. Ela foi pega com cocaína e maconha prontas para distribuição na Zona 21.

Prisão por dois mandados de assassinato pendentes

Tzun Lacan foi presa novamente em 3 de agosto de 2022, em Loma Blanca, Zona 21, com dois mandados de assassinato pendentes. Ela é acusada de dois ataques armados na Zona 21, um em abril contra um agiota colombiano de 22 anos e outro em maio contra um homem de 41 anos, ambos em Loma Blanca.

Histórico de acusações

Data Acusação
23 de maio de 2022 Tráfico de drogas
3 de agosto de 2022 Dois assassinatos

III. Crimes atribuídos a Leidy Noemí Tzun Lacan

Assassinatos

Leidy Noemí Tzun Lacan é acusada de dois assassinatos na Zona 21 da Cidade da Guatemala:

  • Assassinato de um agiota colombiano de 22 anos em abril de 2022
  • Assassinato de um homem de 41 anos em maio de 2022

Tráfico de drogas

Além dos assassinatos, Tzun Lacan também foi presa por tráfico de drogas em maio de 2022. Ela foi flagrada com cocaína e maconha prontas para distribuição na Zona 21.

Outros crimes

Tzun Lacan também é suspeita de envolvimento em outros crimes, incluindo extorsão e lavagem de dinheiro. No entanto, ela não foi formalmente acusada desses crimes.

IV. Antecedentes criminais de Leidy Noemí Tzun

Prisão por tráfico de drogas

Antes de ser presa pelos assassinatos, Tzun foi presa em 23 de maio de 2022, por tráfico de drogas. Ela foi flagrada com cocaína e maconha prontas para distribuição na Zona 21.

Assassinatos

Tzun é acusada de dois ataques armados na Zona 21, um em abril contra um agiota colombiano de 22 anos e outro em maio contra um homem de 41 anos, ambos em Loma Blanca.

Data Vítima Local
Abril de 2022 Agiota colombiano, 22 anos Loma Blanca, Zona 21
Maio de 2022 Homem, 41 anos Loma Blanca, Zona 21

Mandados de prisão

No momento de sua prisão em 3 de agosto de 2022, Tzun tinha dois mandados de prisão pendentes pelos assassinatos.

V. Conclusão

O caso de La Sicária Guatemala é um lembrete sombrio do poder e da influência das gangues no país. Seus crimes deixaram um rastro de devastação e dor, e seu julgamento será um momento crucial para a justiça e o fechamento das famílias das vítimas. Embora sua identidade permaneça desconhecida, as autoridades estão determinadas a responsabilizá-la por suas ações. O desfecho deste caso será acompanhado de perto, pois tem implicações significativas para a segurança e o Estado de direito na Guatemala.

As informações fornecidas neste artigo foram sintetizadas de várias fontes, que podem incluir Wikipedia.org e vários jornais. Embora tenhamos nos esforçado diligentemente para verificar a precisão das informações, não podemos garantir que cada detalhe seja 100% preciso e verificado. Como resultado, recomendamos cautela ao citar este artigo ou usá-lo como referência para sua pesquisa ou relatórios.

Related Articles

Back to top button